Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Mães e filhas estudam juntas em escola municipal de Goiânia
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Mães e filhas estudam juntas em escola municipal de Goiânia

Elas cursam a Eaja e seguem firmes no caminho do aprendizado. Duas histórias de amor e parceria

  • Publicado: Quinta, 09 de Maio de 2019, 18h37
  • Última atualização em Quinta, 09 de Maio de 2019, 18h37

IMG 6081 CopyDuas histórias chamam a atenção na Escola Municipal Izabel Esperidião Jorge, localizada no setor Alto da Glória. A aluna do 8º ano da Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja) Poliane Nunes, 34, mora em Goiânia há quatro anos e é vendedora em uma loja de móveis. Há um ano, ela teve sua vida transformada por um pedido especial. Sua filha, Karoline Rodrigues, 15, que morava com o pai em Brasília, decidiu vir morar na Capital. “Eu não tinha muito contato com a minha filha. Um belo dia, ela me ligou e pediu para eu buscá-la. Eu não pensei duas vezes e fui”, lembra Poliane.

Quando chegaram em Goiânia, há exato um ano neste mês de maio, inicialmente a vendedora tomou as providências para matricular Karoline na escola. “Eu já estava estudando aqui a pouco tempo e ela já estudava lá. Quando ela chegou, conseguimos um emprego na mesma loja que eu trabalho e ela veio estudar junto comigo.Então, tudo isso mudou a minha vida completamente. Eu morava sozinha, tinha um ritmo, uma rotina. Agora tudo mudou e foi para muito melhor. Nos tornamos amigas, parceiras em tudo, saímos para o trabalho juntas, vamos para a escola juntas. Somos praticamente duas em uma”, conta a mãe.

O tempo de convivência perdido tem sido recuperado com muito amor e cumplicidade entre as duas. “Estamos retomando o tempo enquanto mãe e filha e eu estou recuperando também os meus estudos.Aqui eu sou colega de escola dela, no trabalho, sou do trabalho e em casa eu sou mãe, cobro educação, responsabilidade e tudo mais. Estudamos em salas separadas e temos uma relação muito boa na escola. Os colegas respeitam muito e admiram a nossa história, a nossa parceria enquanto mãe e filha”, afirma Poliane, que chama a filha carinhosamente de “rainha”.

Karoline explica porquê escolheu vir morar em Goiânia: “Eu estava sentindo muita falta da minha mãe e, além disso, não estava dando muito certo morar lá com o meu pai. Desde que minha mãe me buscou e eu moro aqui com ela, a minha vida é outra. Agora eu trabalho, estudo, tenho muitas responsabilidades, é até difícil e cansativo conciliar, mas está sendo muito bom. Ter uma mãe por perto é diferente de ter um pai. Tem coisas que eu não podia e não queria conversar com ele, só com ela. Aqui na escola eu fui muito bem recebida. Estou no 9º anos e todos me acolheram muito bem. Minha mãe me dá a maior força. Quando uma fraqueja a outra ajuda e minhas notas estão excelentes!”.

IMG 6073 CopyOutra história de superação e parceria é a da diarista Maria Divina Pereira de Araújo, 40, e da filha, Franciely Pereira da Silva, 16. Mãe e filha, elas também estudam juntas na mesma escola.  Cursando o 3º ano, Maria Divina, se emociona ao contar sobre seu passado. “Sou mãe de quatro filhos. Não tive tempo de estudar. Antigamente tudo era muito difícil e eu precisei parar com os estudos. Decidi voltar porque eu vejo que as coisas só vão para frente para quem tem estudo. E com esta mesma ideia eu criei meus filhos. Procuro sempre o melhor para eles e quero que minha filha tenha um bom futuro”, disse.

Franciely está no 7º ano e já tem seus planos em mente. “Quero ser veterinária. Pretendo seguir em frente, ser alguém na vida e foi a minha mãe que me ensinou isso. Tenho orgulho em ter ela aqui na escola comigo. Juntas nós vamos seguindo e aprendendo cada vez mais”, afirma.

As duas duplas de mãe e filha tem motivos de sobra para comemorar muito no próximo domingo, 12, Dia das Mães. Mas para elas, a comemoração já começa nesta sexta-feira, 10, durante um jantar especial que a escola promove a partir das 19h. Todas as mães dos alunos da Eaja foram convidadas e a noite promete ser de grandes homenagens e emoções.

Lívia Máximo, editoria de Educação e Esporte 

Fotos: Luane Dourado

registrado em:
Fim do conteúdo da página