Ir direto para menu de acessibilidade.
Busca
Página inicial > Notícias > Secretário municipal de Educação visita programa de inclusão social parceiro
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Secretário municipal de Educação visita programa de inclusão social parceiro

Titular da Pasta de Educação e Esporte conheceu voluntários e alunos atendidos, além de se atualizar das atividades na instituição

  • Publicado: Quarta, 10 de Abril de 2019, 23h54
  • Última atualização em Quarta, 10 de Abril de 2019, 23h54

f36a5338 e41c 4eae a364 16864267c45d 730x973O secretário municipal de Educação e Esporte, professor Marcelo Costa, visitou o Programa de Referência em Inclusão Social (Pris) da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). O programa de extensão, que é parceiro da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) recebeu seu titular na tarde desta terça-feira, 9, atualizando-o sobre as atividades desenvolvidas, além de apresentá-lo voluntários, pais e alunos atendidos.

Criado em 22 de março de 2014, o Pris é um programa permanente de extensão da PUC Goiás cujo objetivo é agregar os trabalhos realizados na Universidade sob a perspectiva da inclusão. A partir daí, dialoga com diferentes instituições e movimentos sociais a fim de contribuir com o debate acadêmico, pesquisa e transformação social. A extensão é composta por tres projetos apoiadores da inclusão, sendo eles Projeto Aprender a Pensar (PAP), Projeto Alfadown e Projeto Acessibilidade Comunicacional no Centro Cultural Jesco Puttkamer.

Inclusão na SME

A SME tem, como uma de suas prioridades, promover a inclusão de educandos com necessidades especiais específicas. Atualmente, a rede conta com dois Centros Municipais de Apoio à Inclusão, Cmai Brasil Di Ramos Caiado e Cmai Maria Thomé Neto, além da parceria das instituições Cebrav, a Associação Pestalozzi – Unidade Renascer, Escola de Ensino Especial - Ascep, Escola Especial Helena Antipoff - Apae, Centro de Orientação e Reabilitação e Assistência ao Encefalopata – Corae e Centro de Apoio ao Deficiente.

As unidades subsidiam a aprendizagem dos alunos com deficiências, síndromes, Transtornos Globais do Desenvolvimento – TGD, altas habilidades / superdotação e dificuldades significativas de aprendizagem matriculados nas unidades educacionais. Além disso, a rede atende 42 alunos deficientes visuais, sendo 18 totalmente cegos. Para melhor atend^e-los, educadores e profissionais técnicos-administrativos da Educação passam por cursos nas áreas de Atendimento Educacional Especializado (AEE) e Procedimentos Administrativos e Pedagógicos em Salas de Leitura para Readaptados.

 

Texto: Luciana Gomides, com informação do Pris - Puc Go 

Foto: Pris - Puc Go

registrado em:
Fim do conteúdo da página