Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Institucional > Notícias > Professor inova ensino de Língua Portuguesa em escola municipal da zona rural
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Professor inova ensino de Língua Portuguesa em escola municipal da zona rural

Iniciativa que usa a robótica busca melhoria na aprendizagem dos alunos valorizando o ensino multidisciplinar e compartilhando experiências

  • Criado: Quarta, 26 de Junho de 2019, 12h58
  • Publicado: Quarta, 26 de Junho de 2019, 12h58
  • Última atualização em Quarta, 26 de Junho de 2019, 12h58

prog em lingua portO amor pela profissão e dedicação são as principais características do educador Cléssio Bastos, que se destaca pelo espírito inovador e uma trajetória de busca pelo conhecimento. O professor de Língua Portuguesa trabalha na Escola Municipal José Carlos Pimenta, da comunidade rural de Vila Rica, a 25 quilômetros de Goiânia. Com alunos carentes, desenvolve projetos inovadores, sempre em busca do melhor desenvolvimento e aprendizado das crianças e adolescentes.

Criador do projeto Looking4Heroes (L4H), trabalhando na escola desde o ano de 2015, o professor compreende a necessidade de compartilhar vivências e explorar o ensino de uma forma mais impactante. O L4H é um projeto que identifica e divulga histórias inspiradoras de professores envolvendo de forma direta ou indireta a educação nas áreas de leitura, escrita, oralidade e robótica. Em uma das ações, o educador desenvolve mecanismos para aliar a Língua Portuguesa com as noções básicas de programação.

O projeto Programando em Língua Portuguesa, desenvolvido desde 2018 na instituição, consiste na utilização da robótica e programação como uma atividade para potencializar a capacidade comunicativa dos educandos. Unindo a robótica com a disciplina escolar de forma escrita e oral, a iniciativa trabalha para que os alunos desenvolvam mais habilidades e competências que vão ajudar na rotina escolar como um todo. Por enquanto, o programa tem como foco as turmas de 9 a 14 anos e, gradativamente, será expandido para toda a escola.

As aulas acontecem uma vez por semana em cada turma e o projeto consiste em concretizar um desafio proposto pelo professor. Os alunos precisam resolver e ainda criar um produto para ser entregue no final, no decorrer desse processo, ao realizar as atividades, já estão aprendendo sobre língua portuguesa escrita, leitura, interpretação e também oralidade. As atividades são realizadas em ambiente informatizado e durante o processo também se aprende sobre as três áreas da robótica, que são programação, elétrica e eletrônica.

“Quando se refere ao desenvolvimento dos alunos, é possível verificar mudanças. No primeiro momento, percebi a diferença de comportamento deles. Se tornaram mais envolvidos, engajados e interessados no que a escola oferece. Depois, notei a melhora da oralidade, se tornaram mais questionadores e dispostos a participar das aulas. Também colhemos resultados nas notas, que vêm aumentando. A Tecnologia se conecta bastante com os alunos, pois eles se abrem mais quando a proposta é tecnológica. Com isso, estamos de olho nos melhores aplicativos, em sites, em programação”, ressalta o professor.

O projeto Programando em Língua Portuguesa foi selecionado pra ser apresentado no seminário Amplifica Internacional que acontecerá no Rio de Janeiro em agosto desse ano. Para falar sobre programação plugada online e desplugada offline, as duas formas que o professor usa em suas aulas. Para o segundo semestre os projetos continuam, geralmente o educador escolhe duas propostas bem elaboradas para que seja possível trabalhar ao longo de todo o ano.

Educação inspira educação
O professor Cléssio já passou por várias experiências, como o programa de imersão, dedicando um mês para participar de todas as atividades e aprender novos métodos pedagógicos na escola Riverside School, na Índia, uma das mais inovadoras da atualidade. A escola criou um modelo próprio de educação voltada para desenvolver a criatividade das crianças, tornando-as “super-heróis”, cidadãos preparados para os desafios do nosso tempo e socialmente responsáveis.

A experiência adquirida visitando escolas em três continentes, América do Sul, África e Ásia, proporciona inspiração diferente ao professor. Além do projeto com robótica, Cléssio também trabalha nas áreas de leituras, videoconferências e biografias. As missões pretendidas com os projetos são motivar, inspirar, dar voz, inovar e conectar pessoas. Com o lema da instituição indiana em mente, que é ‘sentir, imaginar e fazer’, o educador se sente com a responsabilidade de compartilhar vivências com alunos e professores.

Projetos tecnológicos na Rede
O desafio da educação na era tecnológica é ensinar de forma mais atraente e mais dinâmica. Para que isso aconteça, é preciso que professores busquem inovação e tenham sensibilidade. A Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) tem a felicidade de poder contar com inúmeros profissionais dedicados, projetos inovadores e muitas parcerias. A prática leva aos alunos ensino de qualidade, permite experiências e desperta o interesse pelas aulas e novos sonhos.

O Projeto Makers, de iniciação de robótica nas escolas, é um exemplo disso. Ele agrega valores à educação de forma mais atual, levando tecnologia e despertando o interesse dos alunos por aulas mais dinâmicas e práticas. A rede também conta com os demais projetos: Ciência Itinerante, Projeto Inventura Educação, Escola Conectada e a Robótica Criativa. A SME, desde o início dessa gestão, tem se empenhado em formar parceiros, sempre com o intuito de aprimorar e diversificar o conhecimento de forma mais atrativa.

São parceiros da educação: a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Tecnologia, (Sedetec), Universidade Federal de Goiás, (UFG), Instituto Federal de Goiás, (IFG) e Fundação Telefônica. As parcerias têm como objetivo levar aos alunos a inovação dos dias atuais. Vale ressaltar que a tecnologia consegue interagir com as outras disciplinas, conforme o professor desejar, seja Matemática, Geografia, Física, Ciências entre outras.

Adriene Bastos, da editoria de Educação e Esporte

registrado em:
Fim do conteúdo da página