Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Institucional > Notícias > Professora de escola municipal é escolhida personagem de websérie da Fundação Telefônica Vivo
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Professora de escola municipal é escolhida personagem de websérie da Fundação Telefônica Vivo

Elenice Rabelo é pedagoga e narra histórias de sucesso no processo de ensino-aprendizagem dos alunos por meio do projeto Escolas Conectadas

  • Criado: Quarta, 26 de Junho de 2019, 09h54
  • Publicado: Quarta, 26 de Junho de 2019, 09h54
  • Última atualização em Quarta, 26 de Junho de 2019, 09h54

webserie fundaA parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) e a Fundação Telefônica Vivo tem rendido bons frutos nas instituições de ensino municipais de Goiânia. Exemplo disso é a professora Elenice Rabelo, da Escola Municipal de Tempo Integral Alonso Dias Pinheiro, que durante o primeiro semestre de 2019 aplicou recursos pedagógicos do projeto Escolas Conectadas e, por isso, foi selecionada para ser personagem de um dos episódios da websérie que a Telefônica está produzindo.

O projeto oferece cursos online de formação continuada, totalmente gratuitos, para professores da educação básica. O objetivo é promover a inserção dos educadores na cultura digital e da prática de metodologias inovadoras de ensino. A websérie da Fundação tem por objetivo mostrar os casos de sucesso que a iniciativa proporcionou por todo o país. Ao todo, a película terá cinco episódios, cada um contando sobre as experiências em cada uma das regiões do Brasil. No Centro-Oeste, Elenice foi a escolhida para narrar as mudanças no processo de ensino-aprendizagem que recursos tecnológicos e princípios da tecnologia proporcionaram a seus alunos.

A professora é formada em pedagogia e conta que desde a graduação se interessa e envolve por iniciativas tecnológicas. “Sempre gostei de fazer cursos na internet, sempre gosto de conhecer todo tipo de plataforma digital. A tecnologia veio para nos ajudar a perceber a aprendizagem de outra forma, ela não está reduzida à sala de aula, é ampla, pode ser feita em qualquer lugar. Qualquer espaço é diferente, basta perceber a tecnologia como presente em todos os lugares. Está presente em tudo o que fazemos e na nossa forma de nos relacionar uns com os outros. Não podemos mais ficar presos a paradigmas, temos que 'pensar fora da caixa', e a tecnologia nos dá suporte para isso”, explica.

No Escolas Conectadas, a pedagoga de 30 anos já realizou três cursos oferecidos e está inscrita para o quarto. Um deles foi o Fotografia na Aprendizagem, que ensinava o educador a usar recursos fotográficos digitais durante as aulas. “Fiz um curso de Fotografia na Aprendizagem e a plataforma pediu para fazermos um projeto sobre como aplicaríamos a fotografia na escola. Eu e outra professora elaboramos um projeto de História do Nome, tiramos uma fotografia de cada aluno, projetamos no ambiente informatizado e pedimos para os alunos fazerem um autorretrato. Foi um trabalho de autoestima e do por quê os pais escolheram seus nomes. Depois trabalhamos a certidão de nascimento, o documento em si. A ideia nasceu a partir da concepção de valorizar a história pessoal de cada um, cada indivíduo tem uma história individual e coletiva. Trabalhamos a questão da história oral, porque a maioria dos alunos do primeiro ano são tímidos”, conta.

A Escola Municipal de Tempo Integral Alonso Dias Pinheiro atende cerca de 200 alunos do Ensino Fundamental e também na modalidade de Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja). A produção da Fundação Telefônica Vivo já gravaram episódios nas cidades de Fortaleza, Guarapari, Caçador e Belém, além de Goiânia.

 

Núbia Alves, da Editoria de Educação e Esporte
Fotos: Luiz Fernando Hidalgo

registrado em:
Fim do conteúdo da página