Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Institucional > Notícias > Educação dá início à implantação de quatro Cmei modulares na capital
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Educação dá início à implantação de quatro Cmei modulares na capital

Unidades conferem mais de 540 vagas na Educação Infantil em quatro regiões de alta demanda

  • Criado: Quarta, 09 de Setembro de 2020, 12h44
  • Publicado: Terça, 08 de Setembro de 2020, 09h49
  • Última atualização em Quarta, 09 de Setembro de 2020, 13h39

DSC 0233 1

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), deu início à implantação de mais quatro Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei) na capital. O diferencial destas unidades é a estrutura inteiramente modular, garantindo maior agilidade e segurança na entrega das vagas. Ao todo, são mais de 540 vagas em regiões de alta demanda na Educação Infantil.

O Cmei Alto do Vale é uma das unidades que serão inauguradas em breve. Situado na região leste de Goiânia, tem projeto com capacidade de atender até 160 alunos de zero a três anos. Outro bairro que receberá ampliação de atendimento na Educação Infantil é o Residencial Brisas do Cerrado, próximo ao Parque Atheneu. A região teve a lista de espera na faixa etária dos três anos zerada no ano passado e recebe o reforço com a implantação de mais uma unidade.

No Conjunto Habitacional Madre Germana II, o terceiro Cmei a ser implantado deve trazer até 160 vagas na modalidade na região sudoeste da capital. Por fim, o Cmei Bem me Quer recebe a extensão modular, permitindo ampliação de até 120 vagas na região central. A estrutura dos Cmei incluem, além das salas de aula, ambientes para refeitório, cozinha, sala multiuso, pátio, depósitos e administrativo. “São salas totalmente seguras e adequadas às necessidades das crianças, proporcionando mais vagas e tranquilidade para pais e responsáveis”, assegura Marcelo Costa, secretário municipal de Educação e Esporte.

Mediante a autorização para início das obras, realizadas junto a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra), equipe técnica responsável acompanha todas as etapas, desde o preparo e nivelamento do terreno, até finalização com estruturas de alvenaria, como rampas de acesso, passando pelo içamento das estruturas modulares. A previsão é que as unidades sejam entregues até outubro deste ano.

Segurança

Os ambientes de rápida instalação (ARI) são formados por equipamentos desenvolvidos especificamente para habitação. No caso daqueles instalados em escolas e Cmei, são especificamente pensados para fins educacionais, desde o projeto até a finalização da fabricação. feitos de aço de alta resistência, com paredes de painel isotérmico, que portam sistemas elétricos, lógicos, hidráulicos e de refrigeração.

O módulo é desenvolvido para diferentes usos, respeitando as normas que regem cada uso. Entre elas, a NBR–5410, que dispõe das Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Erroneamente chamadas de “contêineres”, os ARI têm, como principais diferenças, os materiais de fechamento, estrutura e cobertura. Os equipamentos modulares possuem faces de fechamento em material termoacústico e resistente, onde o mesmo é o próprio acabamento.

O contêiner marítimo, por sua vez, recebe faces metálicas que demandam revestimento térmico. Ainda, a parte estrutural dos módulos está em suas colunas, teto e chassi, bem como teto com telhas e calhas para captação de água pluvial, dispensando cobertura externa. O tempo de vida estimado para as salas modulares é de 20 anos e outra de suas grandes vantagens é a possibilidade de transferi-las entre unidades, conforme a demanda apresentada em cada região.

Quanto à manutenção, nesse tipo de construção, é tão necessária quanto em qualquer outra tipologia. Assim, os procedimentos são realizados temporariamente, respeitando o uso e local de implantação do equipamento.

Texto: Luciana Gomides, editoria de Educação e Esporte

Fotos: Luiz Fernando Hidalgo

registrado em:
Fim do conteúdo da página